Grupo RL

Notícias na General Osório

Listando: 1 à 5 de 1333
Honda Forza 350 2022: nova versão chega ao Brasil por R$ 47 mil

Presente na linha Honda Global há mais de duas décadas, a versão Honda Forza 350 2022 chega ao Brasil para completar a gama de scooters da marca. O modelo está disponível nas concessionárias de todo o Brasil a partir de agosto, na cor cinza metálico e com preço sugerido de R$ 47 mil (base Distrito Federal). A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem.

Design e aspectos práticos
A Forza 350 2022 tem como ponto de partida de seu estilo o para-brisas elétrico controlado por tecla no punho esquerdo. Com 180 mm de altura, foi concebido para oferecer proteção e direcionar os fluxos aerodinâmicos à volta e por cima da cabeça do condutor e garupa, assim como reduzir o ruído do vento. A posição pode ser facilmente alterada oferecendo maior estabilidade e conforto na condução em alta velocidade e também para grandes distâncias. Em uso urbano, o condutor pode baixá-lo para usufruir de uma visibilidade mais adequada à utilização em cidade como para aumentar o fluxo de ar em dias quentes.

O atento estudo aerodinâmico aliado à centralização das massas resultou em agilidade, e, para maior conforto em alta velocidade, a porção frontal da scooter tem a capacidade de gerir as pressões negativas à frente do condutor, reduzindo o efeito natural do vento e assim diminuindo estresse e cansaço na pilotagem em velocidade.

O espaço sob o assento tem capacidade para dois capacetes integrais e pode ser dividido para levar um só capacete ou o equipamento de chuva e pastas de tamanho A4. Na parte traseira do escudo frontal, o compartimento do lado esquerdo tem tampa com chave e seu espaço pode ser arranjado segundo as conveniências do condutor, podendo receber um smartphone ou uma pequena garrafa de água. Tal compartimento também é dotado de porta USB-C.

A iluminação da Forza 350 é full LED na dianteira e traseira. Os piscas dianteiros e traseiros, por sua vez, têm uma nova função de sinalização de frenagens de emergência por meio da tecnologia Emergency Stop Signal (ESS). Quando o modulador do ABS detecta uma frenagem súbita, os piscas de emergência acendem a alta velocidade para alertar os outros veículos.

O painel de instrumentos conta com um velocímetro e um conta-giros analógicos, que tem um mostrador digital ao centro que permite três opções de visualização: hodômetro totalizador, autonomia restante e consumo instantâneo; hodômetro parcial, consumo médio e cronômetro; temperatura ambiente e tensão da bateria.

Já a Smart Key controla o botão da ignição e a trava do compartimento sob o assento. Com ela no bolso do condutor, abertura do banco e acionamento de ignição são ativadas automaticamente, e travadas quando o usuário se afasta.
​
Motor da Forza 350 2022
O motor da Forza 350 2022 é dotado da tecnologia eSP+ (enhanced Smart Power+), que promete ótimo desempenho tanto do ponto de vista ambiental como em termos de performance global graças à adoção de tecnologias de redução do atrito, peso e vibração.

O pico de potência deste motor de comando de válvulas simples no cabeçote – SOHC – de quatro válvulas, alimentado por injeção de combustível PGM-FI e com arrefecimento por líquido é de 29,2 cv a 7.500 rpm, com torque máximo de 3,24 kgf.m a 5.250 rpm.

O virabrequim se destaca pela rigidez, necessária para a gestão da potência. Para aumentar o arrefecimento do pistão, um injetor de óleo pulveriza lubrificante diretamente na parte de trás do pistão melhorando a combustão. A capacidade do cárter de óleo é de 1,7 litro.

A borboleta do sistema de injeção tem 36 mm de diâmetro e as válvulas da admissão 28 mm, o que garante a eficiência da alimentação. A caixa de ar tem 5,5 litros de capacidade, permitindo aspirar o ar com mais eficiência, utilizando um “fluxo de redemoinho” reforçado dentro do cilindro para maior consistência na queima do combustível. Os gases queimados são expelidos por uma abertura de escape em linha reta, o que melhora ainda mais a eficiência. Para reduzir a resistência dos gases de escape, o silenciador tem duas câmaras distintas. O tamanho e a posicionamento do catalisador permite um fluxo ideal, o que favorece a purificação dos gases.

O atrito interno é reduzido pelo desvio de 5 mm no eixo do cilindro, pela introdução de um ajuste hidráulico na corrente da distribuição e utilização de uma bomba de óleo de grande eficiência. Usada em motores de alta performance, esta bomba reduz a pressão interna do motor, diminui as perdas por bombeamento e o atrito interno de rotação. Um eixo de equilíbrio ligado ao virabrequim reduz ainda mais as vibrações e contribui para uma dirigibilidade agradável e suave.

A embreagem automática centrífuga, por sua vez, aciona a transmissão V-Matic (com relações definidas para respostas rápidas a baixa velocidade e acelerações poderosas) e a transmissão final por correia V-Belt.

O motor da Forza 350 2022 ainda está equipado com o sistema Honda Selectable Torque Control (HSTC), de controle de tração. Ele compara a diferença entre as velocidades das rodas dianteira e traseira, calcula a relação de deslizamento e depois controla o torque por meio do sistema de injeção, visando retomar a tração na roda traseira. Pode ser ligado e desligado por meio de um comando no punho esquerdo. Quando o sistema se ativa para gerir a tração do veículo, há um indicador T no mostrador digital que pisca.

Detalhes do chassi
O quadro tubular de aço, resistente e leve, é o grande responsável pela maneabilidade da Forza 350 2022. A distância entre eixos é de 1.510 mm, o ângulo da coluna de direção de 26,5° e o trail tem 89 mm. O radiador colocado à frente do reservatório de combustível oferece ótima capacidade de arrefecimento. Já a bateria situada entre o tanque e o compartimento sob o assento contribui para a centralização das massas. O peso seco é de 176 kg.

A altura do assento em relação ao solo é de 780 mm e a posição de pilotagem é natural, favorecendo a visibilidade a toda a volta. A largura do guidão é de 755 mm, a carenagem tem 580 mm de largura – quando os espelhos retrovisores estão posicionados a largura total atinge 860 mm. A suspensão dianteira do tipo telescópico tem curso de 100 mm e é complementada pelo par de amortecedores traseiros – montados em braço oscilante de alumínio – que possuem 115 mm de curso e permitem sete níveis de regulagem na pré-carga da mola.

A roda dianteira de 15 polegadas de alumínio fundido conta com um pneu 120/70-15 e a roda traseira, de 14 polegadas, um pneu 140/70-14. Tais escolhas visaram oferecer o máximo conforto, desempenho e capacidade de tração. A frenagem dianteira fica a cargo de um único disco de 256 mm, complementado atrás por outro disco de 240 mm, ambos com ABS.

(Fonte: 33giga) - 09/08/2022
COMISSÃO APROVA ISENÇÃO NO IPVA PARA MOTOS DE BAIXA CILINDRADA

Projeto que circula no Senado prevê zerar o IPVA para motocicletas até 170cm³

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou recentemente duas emendas para reduzir a zero a alíquota do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para motocicletas de baixa cilindrada.

O IPVA é cobrado anualmente e tem o valor fixado por uma porcentagem do valor de venda do veículo. No caso do Estado de São Paulo, o IPVA tem uma alíquota de 2% do valor de venda da motocicleta.

Desde 2019, transita pelo Senado o Projeto de Resolução (PRS) 3/2019, do senador Chico Rodrigues (União-RR). Inicialmente voltado para motos até 150cm³, sofreu uma atualização englobando motos até 170cm³, pois as duas motos mais vendidas no Brasil (Honda CG e Bros) possuem motor com 162,7 cm³.

Para justificar a proposta, Chico Rodrigues argumenta que 85% dos compradores de motocicletas estão nas classes C, D e E, que utilizam esse tipo de veículo para deslocamento diário e/ou como ferramenta de trabalho.

O senador Chico Rodrigues alega: “Em todas as áreas, seja na cidade ou no campo. A aprovação vai obviamente beneficiar os que mais precisam. Cerca de R$ 300 economizados no IPVA já ajudam no orçamento familiar desses trabalhadores”.Outra ajuda no bolso da população foi que no ano de 2022, os proprietários de veículos não tiveram que pagar o DPVAT 2022. Para entender mais sobre a isenção desta taxa, confira o blog da Porto, clique aqui.

O projeto já foi aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado e pode ser discutido no plenário da casa. Mesmo que o projeto seja aprovado e sancionado pelo governo federal, a isenção total para motos de baixa cilindrada pode não ocorrer.

RESPONSABILIDADE FISCAL: TODOS OS ESTADOS VÃO ZERAR O IPVA PARA MOTOS DE BAIXA CILINDRADA?

O primeiro problema é que o projeto mexe com a arrecadação, o que poderia ser negado pelo governo federal por afrontar as regras de responsabilidade fiscal.

Mas é preciso lembrar que o IPVA é um imposto cobrado na esfera estadual. Portanto, não afeta diretamente os cofres federais caso sua alíquota seja alterada.

O relator do projeto, Mecias de Jesus (Republicanos-RR), destacou que: “Não há impedimento em relação à responsabilidade fiscal, visto que a medida tem caráter autorizativo e não vai causar renúncia de receitas para a União. O IPVA é um imposto no âmbito da competência estadual."

Isto quer dizer, caso o projeto se torne lei, ele apenas autorizará os estados a praticar (e estimular) a isenção do IPVA para motos pequenas. Ficando a decisão nas mãos dos governadores e outros órgãos responsáveis na esfera estaduais para adotar ou não a isenção de IPVA para motos até 170cm³.

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 09/08/2022
PRODUÇÃO DE MOTOCICLETAS ULTRAPASSA 430 MIL UNIDADES PRODUZIDAS

O volume registrado em 2022 é 22,3% maior do que no ano passado

Segundo dados Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - Abraciclo, o setor fechou o primeiro quadrimestre do ano com 439.817 unidades produzidas.

Ainda de acordo com a Abraciclo, 112.678 motocicletas saíram das linhas de montagem do Polo Industrial de Manaus. Mesmo assim, isso corresponde a uma retração de 17,4% na comparação com março (136.350 unidades) e de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano passado (122.220 motocicletas).

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, explica que as fabricantes operam dentro da normalidade e conforme o planejamento anual. “As unidades fabris cumprem seus programas de produção. Com isso, mantemos nossa expectativa de produzir 1,29 milhão de unidades em 2022”, afirma. Com esse resultado, a indústria de motocicletas estima crescer 7,9% em 2022, na comparação com 2021 (1.195.149 unidades).
No primeiro quadrimestre foram emplacadas 382.380 motocicletas, aumento de 27,4% na comparação com o mesmo período de 2021 (300.098 unidades).

Na avaliação de Fermanian, o mercado de duas rodas segue aquecido. “É um movimento que começou com a pandemia e mais recentemente, há aquelas que escolheram o modal para driblar a alta constante nos preços dos combustíveis”.

Em abril, foram emplacadas 89.715 motocicletas de baixa cilindrada (até 160 cilindradas). Segundo dados da Abraciclo, esse volume corresponde a 83,3% do mercado. Em segundo lugar, ficaram os modelos de 161 a 449 cilindradas, que tiveram 14.618 unidades licenciadas e 13,6% de participação. As motocicletas acima de 450 cilindradas totalizaram 3.374 licenciamentos, o que representa 3,1% do mercado.

A média diária de vendas em abril, que teve 19 dias úteis, foi de 5.669 unidades.

MERCADO POR REGIÃO

A região Sudeste foi a que mais emplacou motocicletas no primeiro quadrimestre. Foram 146.905 unidades comercializadas, o que corresponde a 38,4% do mercado. Em segundo lugar, ficou a região Nordeste (115.911 unidades e 30,3% do mercado). Na sequência, vieram as regiões Norte (43.557 motocicletas e 11,4% de participação), Sul (38.982 unidades e 10,2%) e Centro Oeste (37.025 motocicletas e 9,7%).

EXPORTAÇÕES

Nos quatro primeiros meses de 2022, as exportações totalizaram 14.533 unidades, o que corresponde a uma retração de 16,7% na comparação com o mesmo período do ano passado (17.441 motocicletas).

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 21/06/2022
Hora de mudar a estratégia pra atrair profissional de tecnologia

A guerra por talentos de tecnologia está cada vez mais acentuada e a disputa por desenvolvedores se tornou global, sobretudo após a pandemia. Os salários estão altíssimos e estima-se um gap de 1 milhão de talentos em tecnologia no Brasil até 2030, segundo a McKinsey.



Kleber Piedade alerta para o erro na busca pelos profissionais de tecnologia
Foto: Divulgação

Diariamente, empresas vêm tentando resolver a dor de contratação em tecnologia com a implementação de um ATS (Applicant Tracking System) para auxiliar no recrutamento das pessoas candidatas com o perfil mais aderente para as vagas abertas. Porém, o mercado está tão concorrido que um profissional de tecnologia não necessita parar para realizar a inscrição em um processo seletivo que tenha várias etapas, a menos que a sua marca empregadora seja MUITO atrativa. Estes profissionais estão recebendo ofertas de trabalho todos os dias no LinkedIn e em outras plataformas.

Além disso, ao perceber que apenas a utilização de um ATS não traz os resultados esperados para esse processo, as empresas contratam tech recruiters, que passam o dia varrendo o LinkedIn e outros canais em busca de talentos. Ao fim do dia, o que ocorre é que TODAS as empresas que precisam contratar para tecnologia estão usando essa mesma estratégia, e ela tem se tornado cada vez menos eficiente.

Por isso, aceite! Só o seu ATS e o trabalho de hunting não vão resolver o gap de contratações de tecnologia.

O caminho mais sustentável e eficiente para resolver esta dor é a construção de uma marca empregadora (Employer Branding) forte, que desperte o interesse e a vontade dos talentos tech em trabalhar na sua organização.

Atualmente o talento tem diversos pontos de contato com a sua marca empregadora antes de decidir participar de um processo seletivo, e de todos os talentos que sua marca empregadora impacta. Poucos efetivamente chegam a se aplicar para uma vaga. Isso quer dizer que você tem que começar o relacionamento muito mais cedo, e se atentar à jornada desse talento nos diversos pontos de contato com a sua empresa.

Para isso, investir em Employer Branding (EB) é essencial. Reduz em até 50% o seu custo por contratação (Linkedin) e diminui em até 28% o seu turn-over (Office Vibe).

Está convencido que investir em Employer Branding é uma boa estratégia? Pois bem, agora é hora de começar a colocar em prática. Neste momento, algumas armadilhas podem prejudicar os seus resultados.

Ao começar a investir em Employer Branding para atrair profissionais de tech, muitas empresas decidem patrocinar eventos de tecnologia, realizar hackathons ou investir em mídias sociais de carreiras. Essas são todas as iniciativas válidas que fazem parte de uma estratégia de EB vencedora. Porém, o grande desafio está na mensuração do resultado destas iniciativas e em garantir a nutrição do relacionamento com os talentos após aquele primeiro contato. É importante também ter consistência e paciência, já que uma marca empregadora de sucesso não se constrói do dia para a noite.

Para ajudar nesses desafios, é essencial você contar com uma ferramenta que te permita criar o seu próprio pool de talentos, importar os contatos que você impacta nestes canais e nutrir o relacionamento com o talento de forma personalizada e empática. Melhor ainda se essa ferramenta estiver conectada com o seu ATS, para você entender quando um talento se aplica para uma vaga ou é aprovado. Ferramentas como o Spark, que já é usado por empresas como Ambev, Raízen, Grupo Boticário e VIA são essenciais para ajudar nestes desafios.

Investir em Employer Branding é essencial para contratar profissionais de tecnologia e tornar a sua marca empregadora mais atrativa para este público. A dica é começar o quanto antes e buscar mensurar todas as suas ações, para conseguir avaliar os resultados e ir melhorando cada vez mais.

(*) Kleber Piedade é CEO da Matchbox, HRtech especializada em soluções de employer branding; Formado em Propaganda e Marketing na ESPM, ele também tem MBA na USP em Administração.

(Fonte: Kleber Piedade * Homework) - 21/06/2022
YAMAHA XMAX DATH VADER EDIÇÃO LIMITADA!

Fica esperto, pois serão apenas 200 unidades e exclusivamente no Brasil!

A saga Star Wars tem fãs em todo o planeta e de todas as idades, mas apenas os fãs brasileiros terão acesso a essa edição comemorativa. Exclusivas, únicas ou raras, não importa, o que pesa é que, apenas 200 pessoas, fãs de Star Wars ou não, terão acesso ao terceiro lançamento dessa Collab, que obteve sucesso de vendas nas versões anteriores NMAX Império Galáctico e NMAX Aliança Rebelde. Certamente essa não será diferente.

Com o preço público sugerido de R$ 28.590,00 + frete (e R$29.535 + frete para São Paulo), estará disponível a partir da segunda quinzena de maio nas concessionárias Yamaha.

Selo comemorativo, grafismos exclusivos, logotipo Star Wars e Estrela da Morte, são alguns dos detalhes que virão nesta edição.

A consagrada e premiada XMAX dispensa apresentações mas, vale lembrar que tem um motor de 250cc, 22,8 cavalos de potência, arrefecimento líquido e o pistão forjado em alumínio com tecnologia DiASil, a mesma tecnologia utilizada nas motos de competição da Yamaha. Pode ser abastecida com até 13,2 litros de gasolina que, somados ao baixo consumo e sua motorização, está apta a pegar estrada tranquilamente. Com conforto e segurança!

A Smart Key habilita o funcionamento, abertura do tanque e o compartimento sob o banco, que permite carregar mais itens do que você imagina! Além disso, dois compartimentos localizados no cockpit ajudam com pequenos itens, além de oferecer uma tomada 12V.

O conforto ainda aumenta com guidão e pára-brisa ajustáveis. O guidão pode ser ajustado 20 mm mais a frente enquanto que, o pára-brisas, 50 mm mais acima.

A dica está dada, entre em contato com a concessionária e reserve a sua, pois não creio que vá demorar para esgotar as vendas.

Listando: 5 de 1333

Anuncie

Sobre o Portal da General Osório

O Portal da General Osório foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua General Osório (boca das motos) no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de Motociclismo.