Grupo RL

Notícias na General Osório

Listando: 1 à 5 de 1286
INDÚSTRIA PRODUZ MAIS DE 103 MIL MOTOCICLETAS EM MAIO

No acumulado do ano, o setor de motocicleta registra alta de 47,5% com a fabricação de 463 mil unidades

As fabricantes de motocicletas instaladas no PIM (Polo Industrial de Manaus) produziram 103.792 unidades em maio, de acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

Na comparação com Abril, ocorreu uma queda de produção de motocicletas, no mês anterior foram produzidas 122.220 motocicletas. Mas, se comparar com o ano passado, quando Manaus enfrentava a primeira onda do coronavírus e foram produzidas apenas 14.809 unidades, houve alta de 600,9%.

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, afirma que o setor mantém sinais de recuperação. No acumulado de janeiro a maio, a produção de motocicletas totalizou 463.413 unidades, volume similar ao registrado em 2019, período pré-pandemia, quando foram fabricadas 468.984 motocicletas. “No momento, as fábricas mostram uma curva de recuperação. No entanto, estamos apreensivos em relação ao ritmo do avanço da pandemia nos próximos meses”, avalia. “É preciso acelerar o programa de vacinação para trazer tranquilidade na gestão das nossas fábricas”, completa.

As fabricantes estão regularizando o volume dos seus estoques. “O estoque ainda é baixo e acreditamos que, em poucos meses, conseguiremos normalizar a situação e acabar com a fila”, diz Fermanian.

Diante desse cenário, o executivo acredita que o mercado deve continuar aquecido nos próximos meses. A projeção da associação para este ano é produzir 1.060.000 motocicletas, alta de 10,2% na comparação com 2020.

VENDAS NO VAREJO

Ao total, foram licenciadas 110.376 motocicletas em maio, as vendas no varejo alcançaram o melhor resultado do ano, sendo 16,6% maior que abril.

De acordo com Fermanian, a fila de espera pode chegar a 45 dias para os modelos da categoria Street, que é bastante utilizada pelos entregadores de aplicativos. Já para as motocicletas premium e de uso misto, que têm demanda menor, a fila está normalizada.

A liderança do mercado continua com a categoria Street, que obteve uma participação 49,6% do mercado. Em segundo lugar, ficou a Trail (24.028 unidades e 21,8% de participação), seguida pela Motoneta (14.941 e 13,5%).

EXPORTAÇÕES

Além de fabricar motocicletas para o mercado nacional, o PIM (Polo Industrial de Manaus) é responsável pela fabricação de motocicletas para exportação.

Em maio, foram exportadas 4.410 motocicletas, volume 3,1% superior às 4.276 unidades registradas em abril e 1.768,6% maior que o mesmo mês do ano passado (236 unidades).

De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, o principal destino foi a Colômbia, com 1.364 unidades e 29,8% do volume total exportado. Em segundo lugar, ficou a Argentina (1.358 motocicletas e 29,7% do total exportado), seguida pela Austrália (952 unidades e 20,8%).

No acumulado do ano, as exportações totalizaram 21.851 unidades, o que corresponde a uma alta de 191,9% em relação ao mesmo período de 2020 (7.487 motocicletas). Os países que mais importam motocicletas brasileiras são: Argentina com 6.920 unidades (30,8% do volume exportado), Estados Unidos (5.537 motocicletas e 24,7%) e a Colômbia (4.249 unidades e 18,9%).

“As motocicletas exportadas para mercado norte americano são, principalmente, do modelo off-road e comprovam que o produto nacional tem alto valor agregado, tecnologia avançada e atendem aos mercados mais exigentes”, afirma Fermanian.

MOTOCIATA COM PRESIDENTE REÚNE MILHARES DE MOTOCICLETAS EM SÃO PAULO

Os motociclistas saíram de São Paulo e seguiram até a cidade de Jundiaí. O evento contou com 12 mil motocicletas e teve duração de 4 horas

Neste sábado, dia 12 de junho de 2021, ocorreu a Motociata com o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O evento intitulado “Acelera para Cristo”, reuniu 12 mil motos de acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

Motociata com Presidente Bolsonaro em São Paulo - Reprodução: Rede Social

Com o presidente à frente, o evento começou às 10 horas na região norte de São Paulo. Os motociclistas seguiram rumo à Jundiaí pela Rodovia dos Bandeirantes até o km 62, onde retornaram sentido capital, seguiram pela Marginal Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Rubem Berta e terminaram com um discurso do presidente no obelisco do Ibirapuera. No total, o percurso foi de 130 km e durou 4 horas.

ACIDENTE NA MOTOCIATA
Infelizmente, no percurso até Jundiaí, alguns motociclistas se envolveram em um pequeno acidente na Rodovia dos Bandeirantes.

Um motociclista se desequilibrou e acabou caindo na pista, em efeito cascata, outros motociclistas que vinham atrás acabaram se acidentando. Uma mulher ficou no chão e recebeu atendimento médico. Felizmente, foram apenas ferimentos leves.

MAIO AMARELO: 8 DICAS DE SEGURANÇA PARA MOTOCICLISTAS

Maio Amarelo é um movimento internacional para conscientização na redução de acidentes de trânsito

O Maio Amarelo surgiu como uma proposta para chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

Tudo começou em março de 2010, quando a Assembleia - Geral das Nações Unidas editou uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base no estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) que contabilizou, em 2009, cerca de 1.3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas. São três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo.

Com isso, surgiu o plano do Maio Amarelo para colocar em pauta para a população o tema trânsito seguro. O movimento é denominado maio amarelo, pois foi em 11 de maio de 2011 que a ONU decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. E amarelo é por causa da cor, que remete a atenção e está presente na sinalização de trânsito.

O último dado de mortes ocorridas no Brasil foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde e registrou em 2019, 31.945 vidas perdidas por causa de acidentes de trânsitos, esse número é o mais baixo desde 2001.

Os motociclistas devem ficar atentos, pois em 2020 ocorreu um crescimento no número de acidentes envolvendo motos. Segundo os dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), 8 a cada 10 pessoas que morreram em acidentes de trânsito no ano passado no Brasil são homens e 90% dos acidentes envolveram motociclistas.

Por isso, separamos 8 dicas rápidas para você pilotar sua motocicleta com mais segurança no trânsito.

CAPACETE
É obrigatório para piloto e garupa. Auxilia a minimizar ferimentos graves em caso de acidente. O capacete deve estar devidamente fixado à cabeça preso ao queixo por meio da cinta, sem folgas, e com a viseira totalmente abaixada. Não tem viseira? Utilize óculos de proteção específicos, não vale óculos de grau ou sol. Além disso, o capacete deve possuir certificado do Inmetro e faixas refletivas.

VESTIMENTA COM EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO
Use luvas, jaquetas e calças com proteção, além de botas. O motociclista anda exposto, por isso é importante utilizar equipamento com proteção para no caso de uma queda evite danos maiores ao usuário. Existem também coletes refletivos que ajudam o motociclista a ser visto em situações de baixa visibilidade, lembrando que a regra essencial para um trânsito seguro é: ver e ser visto.

USO DE CELULAR
Usar o celular como GPS no guidão da moto, está ok. Mas não pode mexer nele enquanto está pilotando, mesmo que esteja parado no semáforo. Você só pode mexer no celular com a moto parada em local adequado e com o motor desligado.

TRAFEGAR NO CORREDOR
A legislação federal de trânsito não proíbe a circulação de motos nos chamados corredores. Porém, o piloto precisa manter distância segura lateral e frontal entre os demais veículos, considerando a velocidade e as condições do local, da circulação, do veículo e climáticas.

ULTRAPASSAGEM À DIREITA
Não faça isso! Os motoristas não estão esperando essa atitude do motociclista, além de ser proibido. Ultrapasse apenas pela esquerda e em local permitido.

EXCESSO DE VELOCIDADE
Respeite os limites de velocidade da estrada! O motociclista deve ter noção que em caso de um acidente, seu corpo irá receber o maior impacto referente a batida, além de ser projetado em outro veículo ou no asfalto. Portanto, quanto maior a velocidade maior o impacto.

MANOBRAS
O correto é o motociclista pilotar sentado ou montado, com as duas mãos no guidão e os pés sobre os pedais ou assoalho, no caso de scooter. Fazer manobras perigosas, como empinar em vias públicas, além de ser perigoso, gera a suspensão ao direito de dirigir. Manobras devem ser realizadas em locais próprios e por profissionais.

É importante citar que é proibido descer da moto e empurrá-la com o motor ligado para fazer alguma manobra ou dar um jeitinho, como conversões proibidas, passar por canteiro central e faixa de pedestres.

MANUTENÇÃO PREVENTIVA
É de extrema importância manter a motocicleta com a manutenção em dia, para evitar sustos e ficar na mão em uma rodovia ou rua de grande movimento. Confira sempre a calibragem e a aderência dos pneus, freios, buzinas, combustível, funcionamento do farol, entre outros itens importantes, e siga em paz.

Para promover a conscientização e responsabilidade no trânsito, o MOTO.com.br preparou uma série de matérias com dicas para pilotagem de moto com segurança, clique aqui.

SALÃO DUAS RODAS É ADIADO PARA 2022

Evento que estava marcada para acontecer em 2021, é adiado para ocorrer entre os dias 1 e 6 de novembro de 2022

O Salão Duas Rodas é um dos maiores eventos do segmento e recebe mais de 200 mil visitantes, a última edição do Salão Duas Rodas aconteceu em 2019.

O evento que estava marcado para acontecer entre os dias 16 e 21 de novembro de 2021 foi cancelado pela Reed Exhibitions, organizadora do evento. Por se tratar de um evento para consumidores, a alteração de datas foi motivada pela total impossibilidade de se garantir o distanciamento social adequado entre as dezenas de milhares de visitantes esperados todos os dias, e teve apoio por completo da Abraciclo e dos principais expositores.

O principal motivo para o adiantamento do evento foi a impossibilidade da experiência do visitante por completo. A essência do evento requer experiências táteis, como testes de motos e acessórios, test rides e atrações que dificultam o distanciamento exigido neste momento de pandemia, e adequado ao público visitante do evento, que soma mais de 240 mil pessoas que vêm de todas as regiões do Brasil.

“Todos ainda estamos vivendo sob as severas consequências da pandemia. Diferente dos eventos focados em negócios, as características singulares do Salão Duas Rodas atraem um público de milhares de pessoas e promovem grande interatividade dos visitantes com atrações, test rides, arenas e shows. Por este motivo optamos por transferi-lo para 2022”, afirma Claudio Della Nina, presidente da Reed Exhibitions.

Em consenso com suas dez associadas do segmento de motocicletas, a Abraciclo apoia a decisão da Reed Exhibitions: “Está no DNA do Salão Duas Rodas promover encontros e experiências com o público. Tivemos uma edição espetacular em 2019, apontada como a melhor já realizada, e queremos superar isso no próximo evento. Acreditamos que em 2022 conseguiremos atender à expectativa do público, que é alta, com um Salão ainda mais completo, atrativo e interativo”, afirma Marcos Fermanian, presidente da associação.

Honda, Yamaha e Kawasaki apoiam o adiamento do Salão Duas Rodas, pois se trata de um evento estratégico, que reforça o compromisso das empresas com os clientes e se apresenta como local ideal para expor as novidades para o mercado.

Para que as empresas possam se organizar e programar com a devida antecedência as muitas novidades, atrações e ações de interatividade com o público a nova data já foi anunciada e ocorrerá entre os dias 1 e 6 de novembro de 2022. A expectativa para 2022 é um Salão Duas Rodas histórico, inclusive, inicia-se desde já, com a ação de organizadores e expositores preparando atividades essencialmente digitais para assegurar engajamento da audiência e gerar conteúdo relevante para o público.

PASSEIO COM A STREET TWIN DA TRIUMPH

Moto moderna com estilo clássico inglês

Essa semana recebemos a Street Twin da Triumph em nossa garagem, ela alinha o estilo clássico das motocicletas inglesas com tecnologia e conforto do século XXI.

Peguei meu óculos aviador, minha jaqueta de couro e meu celular. Digitei Casa de Chá em São Paulo, coloquei o GPS e fui fazer um passeio típico inglês.

A Street Twin surpreendeu na locomoção por grandes centros urbanos, sua ciclística é acertada, que possibilita a troca de faixas e enfrentar o trânsito da cidade com segurança.

Aliados à ciclística, temos o controle de tração e os freios ABS com a pinça de 4 pistões dianteiro da Breembo e traseiro da Nissim, que proporcionam segurança no asfalto molhado pela garoa típica de São Paulo.

O painel único e redondo, mistura o analógico (velocímetro) com uma tela digital que apresenta informações de hodômetro, hodômetro parcial, indicativo de marcha engatada, modo de pilotagem, nível de combustível e conta-giros que, na minha opinião, prefiro analógico.

A surpresa ficou para a embreagem com assistência de torque, extremamente leve, excelente para as trocas de marchas em trânsito pesado. A suspensão com garfos de cartucho com curso de 120mm, conseguiram absorver bem as irregularidades do asfalto.

Após tomar meu chá das cinco, voltei para casa. Descobri que meu celular estava acabando a bateria, ainda bem que a Street Twin tem uma tomada localizada embaixo do banco e você consegue acessar facilmente. Pronto, celular com bateria, vamos voltar para casa.

Como retornei à noite, percebi que apenas a lanterna traseira é em LED, o restante do sistema de iluminação utiliza lâmpada halógena.

Na manhã seguinte, resolvi testar a Street Twin na estrada. O motor duplo paralelo de 900 cc e com virabrequim de 270° e arrefecimento líquido, entrega 65 cv de potência (10 cv a mais do que na geração anterior) e 80 Nm de torque máximo.

Com o torque já presente em baixa rotação, a moto foi excelente no percurso urbano. Com o motor ágil e a ciclística acertada, o piloto consegue desviar bem do trânsito pesado da cidade.

E na estrada? Em um bate e volta rápido, a Street Twin mostrou que a moto se sai bem para pequenas viagens. Sua ergonomia aprimorada, aliada com um banco com boa curvatura, espuma de alta densidade e baixo nível de vibração, possibilita viajar sem cansar demais.

O motor de 65 cv respondeu bem e não tem necessidade de ficar reduzindo marcha, possui boas retomadas apenas acelerando mais forte. O consumo ficou em torno de 20 km/l.

O estilo da Street Twin é único. Apesar de ter peças que remetem às motocicletas clássicas, como as aletas de arrefecimento a ar e proteção similar a de um carburador, a Street Twin tem uma construção moderna, que resulta em uma motocicleta confortável e fácil de guiar.

Além da pintura preta no motor, o ronco proporcionado pela saída dupla do escapamento é uma sinfonia para os ouvidos.

Quer acrescentar um estilo único na moto? A Triumph oferece a possibilidade de customização com mais 140 acessórios para motocicletas originais de fábrica, de modo que todo piloto possa deixá-la do seu próprio jeito, com o aclamado DNA Bonneville e uma personalidade única. Para conhecer mais sobre o processo de customização acesse o site da Triumph,
clique aqui.

CONCLUSÃO
Com preço a partir de R$49.990,00, a Street Twin é uma moto excelente para pessoas que querem subir de cilindrada. Seu motor elástico e contínuo passa confiança e responde bem. Sua ergonomia é excelente para passar horas se divertindo em cima da motocicleta sem se cansar.

(Fonte: Por Thiago Dantas Equipe MOTO.com.br) - 12/05/2021
Listando: 5 de 1286

Anuncie

Sobre o Portal da General Osório

O Portal da General Osório foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua General Osório (boca das motos) no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de Motociclismo.